Pular para o conteúdo
Voltar

Ferrugem Asiática

Ferrugem Asiática



A ferrugem asiática da soja é uma doença causada por um fungo biotrófico [Phakopsora pachyrhizi (Sydow & P. Sydow).], ou seja, que precisa do hospedeiro vivo para obter seu alimento. Esta doença, constitui-se em um dos principais problemas fitossanitários da cultura. 

O manejo da doença é mais efetivo quando são adotadas, em conjunto, as medidas de controle disponíveis. É recomendado o uso da resistência genética, a eliminação das plantas voluntárias e outros hospedeiros (vazio sanitário), o uso de cultivares de ciclo curto, a semeadura no início do período recomendado e o tratamento químico com fungicidas eficientes. 

Em Mato Grosso, a 
Instrução Normativa Conjunta SEDEC/INDEA N.º 001/2021 estabelece medidas fitossanitárias para prevenção e controle da ferrugem asiática da soja, com o objetivo de prevenir e manter o controle fitossanitário da doença através das seguintes medidas:

  • Calendário de Plantio de 16 de setembro à 31 de dezembro de cada ano;
  • Proibição de Cultivo em sucessão de soja sobre soja na mesma área;
  • Calendário de Colheita até 05 de maio de cada ano;
  • Plantio Excepcional somente para finalidades específicas;
  • Cadastro de Propriedades;
  • Vazio Sanitário; e
  • Controle da Ferrugem asiática.

 

Esta regulamentação encontra-se em conformidade com a legislação vigente, e com as deliberações da Comissão de Defesa Sanitária Vegetal do Estado de Mato Grosso. 
 

Desde o primeiro registro da ferrugem asiática da soja em Mato Grosso, o INDEA/MT tem adotado as medidas necessárias visando a proteção da cultura da soja, objetivando a redução da quantidade de aplicações de fungicidas, visando a sustentabilidade da cultura no Estado.

 

Como forma de identificar as áreas de cultivo ficou instituído o cadastro de propriedade produtora de soja em Mato Grosso, que deve ser atualizado anualmente até o dia 15 de fevereiro de cada ano diretamente no site http://vegetal.indea.mt.gov.br/SISDEV/O cadastro é obrigatório e os dados informados no cadastro são de responsabilidade do produtor, tem caráter sigiloso, cujo objetivo é o planejamento das ações da Defesa Sanitária Vegetal.

 
Excepcionalmente, durante o vazio sanitário, poderão ser autorizados plantios de soja, com a finalidade de Pesquisa Científica para melhoramento genético de soja, avanço de gerações de linhagens de soja, pesquisa para produção de conhecimento técnico ou científico e produção e multiplicação de sementes pré-genéticas e genéticas, de variedades de soja devidamente testadas e definidas como resistentes ao fungo Phakopsora pachyrhiziO requerimento deve ser preenchido conforme modelo padrão (Requerimento), e protocolado na Unidade Local do INDEA/MT, até o dia 31 de janeiro de cada ano.

Recentemente, o Programa Nacional de Controle da Ferrugem Asiática da soja (PNCFS) foi atualizado, com a publicação das Portarias SDA/MAPA nº 306/2021, Portaria SDA/MAPA nº 388/2021Portaria SDA/MAPA nº 394/2021

Ano

 

Evento

2001

Primeiro registro da ferrugem Asiática da Soja no Brasil

2003

Primeiro registro da ferrugem Asiática da Soja no Mato Grossol

2004

Recomendação Técnica Conjunta MAPA/INDEA-MT

2005

Instrução Normativa Nº 04/2005 (Proibição de plantios em pivôs centrais)

2006

Instrução Normativa Nº 01/2006 (Institui oficialmente o vazio sanitário no Estado de Mato Grosso)

LEI Estadual nº 8.589, de 27 de Novembro de 2006 (D.O.19.12.06)

2007

Notada a baixa eficiência de alguns princípios ativos (tiazóis)

2008

Instrução Normativa Nº 01/2008 (Aperfeiçoa Vazio Sanitário)

Decreto Estadual nº 1.524, de 20 de Agosto de 2008.

2012

Instrução Normativa INDEA-MT Nº 057/2012

2013

Redução da Eficiência das Estrobilurinas

2014

Instrução Normativa INDEA-MT Nº 07/2014 e

Instrução Normativa INDEA-MT Nº011/2014

2015

Instrução Normativa INDEA-MT Nº 001/2015 e

Instrução Normativa Conjunta SEDEC-INDEA-MT Nº002/2015

2016

Redução da eficiência da Carboxamidas

2021 Instrução Normativa Conjunta SEDEC-INDEA-MT Nº 001/2021

 

 



Sanidade Vegetal
Todos os Serviços