Pular para o conteúdo
Voltar

O Instituto de Defesa Agropecuária de Mato Grosso participa de exercício simulado para a prevenção da entrada de praga quarentenária

O Indea participou de simulado para testar e avaliar os procedimentos a serem adotados em casos suspeitos da entrada da praga Fusarium oxysporum f.sp. cubense raça 4 tropical (FOC R4T), que afeta a produção de bananas
Max Campos | Indea-MT

Foto por: - Foto por: Divulgação Indea
Foto por:
A | A

O simulado foi Promovido pela Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina (Cidasc), com o objetivo de subsidiar as ações de contingência que serão estabelecidas pelo Plano Nacional de Prevenção e Vigilância para a praga FOC R4T.

O evento ocorreu entre os dias 26 a 28 de novembro, em Corupá/SC, e faz parte das medidas para prevenir a entrada da praga FOC R4T no Brasil. 

O FOC R4T é uma raça mais agressiva do fungo causador do “Mal do Panamá”, também conhecido como “Fusariose da bananeira”. Ainda não são conhecidas variedades resistentes ou manejo químico viável para o controle, por isso a importância de prevenir a entrada desta praga no país, visto que sua introdução acarretaria em grandes perdas socioeconômicas para a bananicultura do país.

A praga FOC R4T foi detectada na Colômbia e desde a confirmação da ocorrência o Brasil vem adotando medidas preventivas para impedir a entrada da doença no país

As simulações, realizadas em campo, envolveram bananicultores locais, com a participação do especialista da Embrapa, Miguel Dita, técnicos do Mapa e dos órgãos estaduais de Defesa Agropecuária do Mato Grosso, da Bahia, do Espírito Santo, de Minas Gerais, do Paraná, de Santa Catarina e do Rio Grande do Sul.





Editorias