Pular para o conteúdo
Voltar

Segunda etapa de vacinação vai de 1º a 30 de novembro em Mato Grosso

A estimativa é de que 14 milhões de bovinos e bubalinos sejam vacinados e a venda das vacinas esta liberada a partir desta quinta-feira (31.10)
Max Campos | Indea-MT

Vacinação contra febre Aftosa - Foto por: - Foto por: Max Campos
Vacinação contra febre Aftosa
A | A

Em Mato Grosso, cerca de 14 milhões de bovinos e bubalinos devem ser vacinados durante a segunda etapa de vacinação contra a febre aftosa. O lançamento oficial foi realizado nesta quinta feira (31.10), na Fazenda Santo Antônio, em Cáceres. De 1º a 30 de novembro devem ser imunizados todos os bovinos e bubalinos de até 24 meses de idade.

De acordo com o presidente do Instituto de Defesa Agropecuária do Estado de Mato Grosso (Indea/MT), Tadeu Mocelin, “o produtor já poderá adquirir a vacina nas revendas autorizadas, a partir desta quinta-feira (31.10)”. Após a imunização do rebanho, o produtor deve fazer a declaração da vacinação com a contagem dos animais por idade e sexo, juntamente da Nota Fiscal da compra das vacinas e apresentar no Indea do seu município, até o dia 10 de dezembro.

A multa para quem deixar de vacinar o rebanho dentro do período da campanha é de 01 UPF (Unidade Padrão de Fiscal) por cabeça de gado não vacinado. O produtor que atrasar a comunicação fica impossibilitado de emitir a Guia de Trânsito Animal (GTA) por um período mínimo de 30 dias.

Plano Estratégico

 

O Brasil é reconhecido pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE), como país livre de febre aftosa com vacinação. E está em andamento o Plano Estratégico 2017-2026 do Programa Nacional de Erradicação da Febre Aftosa (PNEFA), que prevê a implementação de ações para a retirada da vacinação até 2023.

A última ocorrência de febre aftosa em Mato Grosso foi registrada em 1996. Segundo Tadeu Mocelin Mato Grosso caminha para a retirada da vacinação, mas até lá nós temos que continuar com os índices de vacinação acima de 99%, para darmos garantia ao mercado exportador de que somos livres da doença e competentes no que fazemos”.

Para o produtor rural e vice-presidente da Associação dos Criadores de Mato Grosso (Acrimat), Amarildo Merotti, este é um momento muito importante para o setor produtivo, haja vista as conquistas nos últimos anos. “A conquista de mercados para os nossos produtos foi graças ao reconhecimento desse trabalho, exportamos para mais 150 países. E os índices de vacinação mostram o comprometimento da defesa agropecuária e da responsabilidade do setor produtivo”.

O superintendente do ministério da agricultura em Mato Grosso, José Guaresqui relembrou a sua história com o município de Cáceres. “Este evento é mais uma etapa de ação em excelência da defesa agropecuária, Mato Grosso é reconhecido como área livre de aftosa com vacinação e caminha seriamente para um próximo status de livre sem vacinação e para isso deve-se ter sempre em busca altos índices de vacinação, e me sinto feliz tendo esse evento na cidade que me acolheu e qual escolhi para morar”.

Também fez uso da palavra o presidente do sindicato rural de Cáceres, Jeremias Pereira Leite, reafirmando a importância da vacinação em todo estado. “Primeiramente agradeço a escolha da cidade de Cáceres para o lançamento do inicio da etapa de vacinação, pois aqui temos o maior rebanho bovino do estado, e isso se deve aos esforços dos parceiros produtores rurais bem como o trabalho em conjunto das instituições privadas e públicas, é esse trabalho contínuo que alavanca o status sanitário de nosso rebanho”.

O evento contou com a presença do gerente regional do Indea em Cáceres, Adriano Garcia, do presidente da associação dos Gardaneros de San Matias-Bolívia, Aldo Rapp Vaca, do superintendente do fundo de apoio à bovinocultura de corte (Fabov), Alan Paulino, da diretora executiva da Acrimat, Daniella Soares Bueno, do coordenador do grupo especial de fronteira (Gefron), Tenente-Coronel Fabio Ricas de Araujo, do representante da universidade de Mato Grosso, Paulo Furlaneto, do representante da coordenadoria de defesa sanitária animal do Indea, Felipe Peixoto, do representante da Federação da agricultura e pecuária do estado de Mato Grosso (Famato), Marcos Carvalho, servidores da regional do Indea em Cáceres, produtores rurais e de revendas agropecuárias.

 

Cuidados

É importante que o produtor fique atento aos cuidados ao realizar a vacinação do rebanho, como comprar vacinas somente de revendas registradas; manter as vacinas na temperatura correta entre 2°C e 8°C; manter a vacina no gelo até o momento da aplicação, respeitando a medida de 3 partes de gelo para uma de vacina; lembrar que a higiene e a limpeza são fundamentais; agitar o frasco antes de usar e aplicar a dosagem de 02 ml em cada animal; aplicar na tábua do pescoço, embaixo da pele.

Brucelose

O produtor pode aproveitar o manejo do rebanho para vacinar as fêmeas com idade de 03 a 08 meses contra brucelose. A segunda etapa da campanha teve início em 1º de julho e vai até 31 de dezembro. A vacinação precisa ser feita uma única vez. A comunicação deve ser feita até o dia 03 de janeiro de 2020, nos escritórios do Indea.

É proibida a vacinação em machos de qualquer idade e de fêmeas com idade superior a 08 meses. As bezerras vacinadas com RB51 deverão receber a marca com a letra “V”, no lado esquerdo da cara. Já as bezerras vacinadas com B19 deverão receber a marca do algarismo final do ano da vacinação, por exemplo: “9”, último dígito do ano 2019. A vacinação deve ser feita por médico veterinário ou vacinador sob sua supervisão.





Editorias