Pular para o conteúdo
Voltar

O Instituto de Defesa Agropecuária de Mato grosso (Indea-MT) dá inicio a vigilância epidemiológica para influenza aviária e doença de Newcastle

O Brasil é o maior exportador de carne de frango do mundo com produção média de 13,056 milhões de toneladas ao ano e manter a sanidade avícola é um desafio no dia a dia da autarquia no Estado
Max Campos | Indea-MT

Foto por: - Foto por: - Divulgação Indea-MT
Foto por:
A | A

O Instituto de Defesa Agropecuária do Estado de Mato Grosso (INDEA-MT) iniciou neste mês de outubro, vigilância epidemiológica para influenza aviária e doença de Newcastle em áreas de sítios migratórios no estado de Mato Grosso. As ações envolvem colheita de amostras de aves domésticas de subsistência de propriedades localizadas ao redor de 10 km dos sítios de invernada nos municípios de Araguaiana e Cáceres.
A expectativa é que sejam colhidas mais de 4.000 amostras de diversas espécies de aves, entre galinhas, codornas, perus, patos, marrecos e gansos. Todo material coletado será enviado para análises no Laboratório Nacional Agropecuário (LFDA), em São Paulo.
Conforme registros no Sistema Mundial de Informações de Saúde Animal da Organização Mundial de Saúde Animal (WAHIS/OIE) observa-se, de forma contínua e persistente, a ocorrência de casos de Influenza Aviária de Alta Patogenicidade (IAAP) em diversos países do mundo. No Brasil a influenza aviária nunca foi detectada e, a doença de Newcastle teve o último registro em aves de subsistência em 2006 no estado de Mato Grosso e Amazonas.
O Brasil é o maior exportador de carne de frango do mundo com produção média de 13,056 milhões de toneladas ao ano. O desempenho produtivo avícola do estado de Mato Grosso aumentou 578,30% desde os anos 2000, ocupando atualmente a oitava posição no mercado de exportações.
O sucesso da resposta a uma ocorrência sanitária depende essencialmente da adoção de medidas preventivas e manutenção do estado de alerta do serviço veterinário. A vigilância em sítios de aves migratórias visa prevenção e resposta eficaz frente à ocorrência dessas doenças de alto impacto econômico e social.

 





Editorias