Pular para o conteúdo
Voltar

Indea discute agenda sobre defesa vegetal com ministro da Agricultura

Dayanne Santana | Indea-MT

Assessoria
A | A

A presidente do Instituto de Defesa Agropecuária do Estado de Mato Grosso (Indea-MT), Daniella Bueno, e o diretor técnico, Thiago Augusto Tunes, reuniram-se nesta quinta-feira (11.10), em Brasília, com o ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Blairo Maggi. Na pauta, assuntos de interesse à defesa vegetal do estado.

Durante a reunião foi apresentada a problemática da manutenção das culturas de soja, algodão e milho como infestantes da Amaranthus palmeri, listada como Praga Quarentenária Presente. Atualmente, é necessária a certificação sanitária de toda a produção mato-grossense, o que gera a emissão de 1,6 milhões de Permissão de Trânsito de Vegetais (PTV).

Amaranthus palmeri foi identificada em Mato Grosso (no núcleo algodoeiro Centro Norte), em áreas normalmente cultivadas com rotação das culturas de algodão, soja e milho, encontrada em apenas 7 propriedades localizadas em 4 municípios do estado, limitando-se a uma área de 12 mil hectares. Desde 2016 não há registro de ocorrência da praga em novas propriedades.

De acordo com a presidente do Indea, Daniella Bueno, foi solicitado ao Mapa, a retirada da Amaranthus palmeri da Lista de Praga Quarentenária Presente. “Além disso, solicitamos também a suspensão de quaisquer exigências que possam ser impostas sobre as culturas de algodão, soja e milho, e sugerimos que as exigências para o controle da Amaranthus palmeri sejam definidas em instrução normativa específica, e que tenhamos um prazo de 60 dias para discussão e elaboração da mesma”.

Vazio sanitário e calendário de plantio de soja

Durante o encontro também foi discutido sobre o pleito do setor produtivo, que busca a mudança do período do vazio sanitário e o calendário de plantio de soja, em Mato Grosso.

O ministro apresentou o ponto de vista sobre o problema e toda a discussão que tem causado, principalmente com a alta utilização dos fungicidas nas áreas com soja plantada no mês de dezembro, a qual cresce com uma alta pressão do inóculo da ferrugem, podendo assim aumentar a resistência da ferrugem por pressão de seleção.

A gestora do Indea destacou que o assunto tem sido tratado com dedicação pela autarquia, com a realização de reuniões internas e externas com o setor produtivo e especialistas no tema. Porém, até o momento não tem uma proposta segura do ponto de vista fitossanitário, mas que estamos caminhando para consegui-lo.

Capacitação

Durante a reunião também foi apresentado o programa do treinamento para os engenheiros agrônomos do Indea. A capacitação que será realizada de 6 a 8 de novembro, em Cuiabá, contará com o apoio do Mapa, que disponibilizou a presença de dois servidores da Coordenadoria de Sementes e Mudas do Mapa, Virginia Arantes Ferreira Carpi e Ricardo Zanatta Machado, que serão palestrantes no evento. O treinamento conta também com o apoio da Superintendência Federal de Agricultura em Mato Grosso (SFA-MT).

Estiveram presentes o secretário de Defesa Agropecuária do Mapa, Luis Eduardo Pacifi Rangel, e o presidente da Aprosoja, Antônio Galvan.





Editorias